Editorial

Conteúdo de utilidade pública com qualidade.

Endometriose com invasão intestinal

Endometriose com invasão intestinal

A endometriose é uma doença onde o endométrio, tecido que reveste o interior do útero, cresce em outras partes como ovários, trompas e intestino. A endometriose profunda intestinal atinge de 10% a 30% das pacientes, portadora de endometriose abdominal, que corresponde a 10% das mulheres em idade fértil. Em média leva 7 anos para diagnóstico.

Os sintomas mais comuns da endometriose intestinal são, inicialmente, cólicas menstruais leves à moderadas, mas o quadro pode piorar e a paciente passar a sentir cólicas fortes, dor durante a evacuação, constipação, sangramento retal e em casos mais avançados até mesmo a obstrução intestinal, às vezes o caso também pode ser assintomático. Porém, nem todo tratamento deve ser feito através de cirurgia, cada caso deve ser individualizado e estudado após uma avaliação médica e por meio de exames.

Na maioria dos casos os segmentos intestinais acometidos pela doença são o reto sigmoide, apêndice e íleo terminal . O diagnóstico é feito através de exames de imagem como ultrassonografia com preparo intestinal e ressonância magnética pélvica, colonoscopia ou retossigmoidoscopia flexível, exames esses que além de identificar a doença, também identificam o grau da mesma.

Para o tratamento há diversas técnicas para eliminar as lesões no retossigmóide, como a raspagem (shaving), ressecção discoide e a retossigmoidectomia, que é a retirada de um segmento maior do intestino. Caso a doença não tenha causado obstrução intestinal e retal o tratamento também pode ser medicamentoso, senão apenas com procedimento cirúrgico. A retossigmoidectomia é a cirurgia feita para tratar da doença e consiste na retirada de parte do reto ou intestino, e deve ser feita por um cirurgião digestivo ou colorretal com experiência em laparoscopia e no tratamento cirúrgico da endometriose, por se tratar de uma cirurgia trabalhosa e delicada.

A retossigmoidectomia por vídeolaparoscopia é uma cirurgia minimamente invasiva, que permite a retirada das lesões identificadas, onde a paciente sente menos dores, há uma menor permanência hospitalar, maior segurança, além de uma recuperação mais rápida.

A vídeolaparoscopia é a melhor técnica cirúrgica para o tratamento da endometriose intestinal, pois permite ao cirurgião uma melhor visualização das lesões pequenas que não são visíveis na cirurgia convencional. Por ser uma cirurgia demorada e delicada, é necessário uma estrutura hospitalar adequada e equipe médica experiente.

A internação é feita um dia antes ou até no mesmo dia, dependendo de cada caso, em virtude da necessidade de preparo intestinal. Nesse tipo de cirurgia é necessário o uso de anestesia geral. A maior parte das pacientes recebe alta precoce em media de 2 a 3 dias, podendo voltar às atividades em alguns dias.

Dr. Tarcísio Carneiro - CRM 4366

Estamos localizados em João Pessoa-PB